Bem vindo...

...bem vindo a porta que te levará a viajar comigo; que te fará meu companheiro(a) em cada nova aventura... e história nas antigas; venha, vamos juntos conhecer o mundo... Andarilho.

Quem sou eu

Minha foto
Rolim de Moura, Rondônia, Brazil
...Motociclista aventureiro, apaixonado pela vida e pela liberdade... ...Antonio o Andarilho; é natural de Dourados –MS, tem 42 anos; autodidata em moto turismo; é otimista, prega e tem por objetivo: viver a vida intensamente com responsabilidade; preza pela direção defensiva e responsabilidade no trânsito, é disciplinado e adora desafios; membro das redes: Brazil Rider's, AME-BR e Irmandade Sem Fronteiras ; fundador e membro ativo do Moto Grupo Expedicionários da Amazônia; também membro da Iron Butt Association, Iron Butt # 45.581 do mundo; não é apegado a bens materiais; vive em Rolim de Moura –Rondônia -Brasil, com sua esposa e dois filhos menores; ex militar do Exército, atualmente comerciante; possui vasta experiência em viagens de curto, médio e longo alcance; e tem prazer em planejar, organizar e executar expedições, viagens e passeios; sempre muito bem acompanhado por sua fiel companheira "Sarita", sua Nx 350 Sahara 1999, a qual possui e viajam juntos a muitos anos; conhecedor da mecânica básica de motos; fala espanhol; e possui curso e estágio de 1ºs socorros e sobrevivência do Exército Brasileiro. Informações e contato; e-mail: andarilhoexpedicoes@gmail.com

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Expedição Rondon 2016. Dia 08 de fevereiro, 3º dia, 1ª etapa.

Hoje depois do café; indicados por D. Mírian, fomos conhecer um dos casais mais antigos de Rolim De Moura do Guaporé, o Sr. Francisco Magipo e a D. Narcisa Quintão Magipo. O Sr. Francisco Magipo, também conhecido como Professor Magipo; brasileiro, professor aposentado e proprietário da Pousada Beira Rio; têm 79 anos e nasceu em São João do Rio Mequéns, comunidade bem próxima aqui da vila. Seu pai, João Magipo era peruano, sua mãe D. Francisca Lopes era boliviana. Seu pai trabalhava aqui na região extraindo o caucho, uma espécie de látex, muito semelhante a seringa.  O Sr. Francisco Magipo teve 10 filhos com sua esposa D. Narcisa Quintão Magipo, com quem esta casado a 58 anos. D. Narcisa que é quilombola, ainda tem seu pai vivo; aos 105 anos ele vive em Guajará Mirim, e goza de boa saúde física e mental, segundo ela. Conversamos bastante com o Sr. Francisco Magipo, que nos contou muitas histórias, das mais antigas as mais atuais; muitas descobertas, muitas informações e curiosidades; entre elas ficamos sabendo de quem eram aquelas duas lápides que ontem encontramos no cemitério antigo aqui da vila. As lápides feitas de tijolos maciços e cimento, que são somente duas; a que esta sem inscrição é do avô paterno de D. Narcisa; Norberto Quintão. E a outra, que tem a inscrição I.G. ; N.  11/01/1918 e F. 23/06/1945, é da finada mãe de D. Narcisa, D. Idelfoncia Gomes; que morreu aos 27 anos, deixando 03 filhos, entre eles D. Narcisa. Depois de quase 02 horas de prosa, nos despedimos, os agradecemos pela atenção e paciência e fomos até o prédio da antiga escola, o prédio mais antigo de Rolim de Moura do Guaporé; Escola Ana Néri, que foi construída no ano de 1950. Também tiramos fotos da antiga igreja, bem próximo a atual igreja, que por sinal é bastante antiga; pois a 20 anos atrás quando estive aqui a serviço no Exército, ela já existia a bastante tempo. Pousada Beira Rio e aluguel de voadeiras, fone: (69) 3646-3018. Falar com o Sr. Francisco Magipo. Logo após as fotos fomos para o hotel, onde almoçamos e logo depois fomos para onde estavam as motos de voadeira, subindo o Rio Mequéns, escoltados pelo nosso amigo Antonio. Depois das arrumações, ali pelas 14:00 hs pegamos o caminho de volta sendo castigados por um vento lateral muito forte, e logo mais a frente a chuva caiu novamente, como havia sido na ida; aceleramos forte rumo a Izidolândia, onde chegamos bem rápido, dadas as condições do clima e da estrada. Já na vila, visitamos o Hotel Teixeira, de propriedade de uma conhecida, D. Dorca; onde tomamos um cafezinho e depois de algumas fotos e abastecer a R$ 4,05 o litro seguimos para Filadélfia; em Filadélfia, fotos e um refrigerante... e aceleramos novamente rumo a Vila Marcão, trecho bem interessante, com areões, serras, e inclusive um bom trecho de barro. Na Vila Marcão, fizemos algumas fotos, descobrimos que o nome “Marcão”, é por conta de um marco de cimento, com uma pequena placa circular de metal em seu topo, com a inscrição INCRA. Ali o Amarildo ajustou a corrente da moto numa oficina de motos e logo depois abasteceu, a R$ 4,04 o litro; eu e o Alexandre não abastecemos. Dali seguimos para Vila Santo Antonio; no caminho, em meio a uma estrada simples, encontramos uma obra de arte inusitada e que tem tudo a ver conosco. Uma moto feita de pneus, na entrada de um sítio, onde tem uma borracharia; fizemos algumas fotos e seguimos; chegamos lá pelas 17:30 h, e os poucos moradores ficaram surpresos com nossa presença. Conversamos um pouco, e um dos moradores e membro da A.P.P. da escola local, fez questão de nos mostrar a escola; e quando estávamos indo para a escola, o pneu dianteiro da moto do Amarildo furou. Depois de algumas fotos, o jeito foi visitar o artista que fez aquela obra de arte que vimos lá atrás; quem diria que pouco tempo depois estaríamos ali, precisando de seu serviço. Serviço feito, tocamos aqui para Alta Floresta D’Oeste, onde chegamos por volta das 20:00 hs. Hoje rodamos 194 km, praticamente só terra da brava. Estamos hospedados no Hotel Decolores, onde a diária de um triplo, custa R$ 120,00. Depois do banho, eu e o Amarildo fomos comer; comemos um prato de espetinho completo por R$ 10,00. Enquanto o aniversariante do dia, o Alexandre curtia uma enxaqueca no quarto do hotel. Quero aqui em meu nome, e em nome do Amarildo parabenizar o Alexandre pela passagem do seu aniversário conosco e na estrada; muitas felicidades e muitos anos de vida, com muitos quilômetros pela frente. Parabenizá-lo também pelo excelente companheiro que tem sido nesses dias de aventuras. Boa noite!

Total do dia: 194 km.

Entre o estacionamento na margem do Rio Mequéns, em Rolim de Moura do Guaporé e Alta floresta D’Oeste, segundo a rota da Expedição Rondon, 1ª Etapa.


Caminhos de Rondônia

Casa do Sr. Francisco Magipo

Um bate papo muito interessante





Professor Magipo como é conhecido, é um dos grandes organizadores da tradicional Festa do Divino. Exibe um livreto do evento, com toda sua programação e estrutura; de sua própria autoria.

Sr. Francisco Magipo, sem os óculos escuros

Foto antiga, a esquerda Prof. Magipo

Foto antiga, a esquerda Prof. Magipo



O casal Sr. Francisco Magipo e Sra. Narcisa Quintão Magipo. Ele brasileiro, filho de João Magipo, peruano e de Francisca Lopes, boliviana; casado com a Sra. Narcisa, quilombola. 

Poesia de autoria do Sr. Francisco Magipo... por trás de sua seriedade se esconde um grande romântico

58 anos de casados

Amarildo tratando das galinhas

Manhã maravilhosa essa; obrigado Sr. Francisco e Sra. Narcisa!

Pousada Beira Rio - Fone 69 3646-3018

Antiga Escola Ana Néri, prédio mais antigo da vila, construído em 1950

A Escola Ana Néri hoje funciona em um outro prédio



Me lembrei de uma música do Zé Ramalho; Vila do Sossego.



Igreja atual, mas muito antiga por sinal

Igreja antiga, anterior a atual



Até outra oportunidade Rolim de Moura do Gauporé

Rio Mequéns





Porto, onde fica o estacionamento

Chegando em Izidolândia; distrito de Alta Floresta D'Oeste

Distrito que tem esse nome em homenagem a um dos pioneiros da região de Alta Floresta D'Oeste, e um dos antigos prefeitos: Izidoro Stedile.



O menino dos ingás... O Alexandre o indagou sobre os ingás, na esperança de ganhar ao menos um, imagino;... inocentemente o menino apontou numa certa direção e disse: é pra lá que tem!  kkkkkkkkkkkkkkkk

O Amarildo se contentou com uma voltinha na magrela do menino

Hotel Teixeira da D. Dorca

Amarildo sentindo os efeitos da falta da bolha na moto

Izidolândia...





Essa raiz é famosa e antiga aqui















Gente boa tem em todo lugar



Ruas de Izidolândia



















Aqui tem combustível

Ele ficou fascinado com as motos, disse que também vai viajar quando crescer; tá no sangue!!!

Estrada rumo ao Distrito de Filadélfia







Filadélfia

Foto aérea do distrito, tiramos a foto de um quadro na parede do mercadinho



Ruas de Filadélfia

Lazer

Gostei daqui

Filadélfia não tem combustível, mas tem internet

Amarildo descansando

Igreja do Distrito de Filadélfia

Estrada rumo a Vila Marcão







Vila Marcão









Aqui tem combustível e oficina de motos





Ruas da Vila Marcão





Vila Marcão; tem esse nome por conta desse marco antigo do INCRA, bem no centro da vila.











Estrada rumo a Vila Santo Antonio



Região de terra fértil com muitos cafezais

Obra de arte bem longe de qualquer grande centro urbano

Uma das riquezas de Rondônia







Vila Santo Antonio

Hospitalidade total

Ruas de Santo Antonio



Aqui também tem cerveja















Escola da Vila





Igarapé Saldanha

Linda corredeira



Esse é o artista que fez a moto de pneus



O Amarildo teve que conhecer o artista, mesmo sem querer, kkkkkkkkkkkkkkk

Um balanço bem original

Chegada em Alta Floresta D'Oeste