Bem vindo...

...bem vindo a porta que te levará a viajar comigo; que te fará meu companheiro(a) em cada nova aventura... e história nas antigas; venha, vamos juntos conhecer o mundo... Andarilho.

Quem sou eu

Minha foto
Rolim de Moura, Rondônia, Brazil
...Motociclista aventureiro, apaixonado pela vida e pela liberdade... ...Antonio o Andarilho; é natural de Dourados –MS, tem 43 anos; autodidata em moto turismo; é otimista, prega e tem por objetivo: viver a vida intensamente com responsabilidade; preza pela direção defensiva e responsabilidade no trânsito, é disciplinado e adora desafios; membro das redes: Brazil Rider's, AME-BR e Irmandade Sem Fronteiras ; fundador e membro ativo do Moto Grupo Expedicionários da Amazônia; também membro da Iron Butt Association, Iron Butt # 45.581 do mundo; não é apegado a bens materiais; vive em Rolim de Moura –Rondônia -Brasil, com sua esposa e dois filhos menores; ex militar do Exército, atualmente comerciante; possui vasta experiência em viagens de curto, médio e longo alcance; e tem prazer em planejar, organizar e executar expedições, viagens e passeios; sempre muito bem acompanhado por sua fiel companheira "Sarita", sua Nx 350 Sahara 1999, a qual possui e viajam juntos a muitos anos; conhecedor da mecânica básica de motos; fala espanhol; e possui curso e estágio de 1ºs socorros e sobrevivência do Exército Brasileiro. Informações e contato; e-mail: andarilhoexpedicoes@gmail.com

sábado, 11 de junho de 2016

Expedição Rondon 2016. Dia 22 de maio, 8º e último dia da 2ª etapa.

Hoje após o café da manhã servido para os que como eu, estavam acampados no local do evento; fui juntamente com o Robério e sua esposa Ana até Nova Colina, distrito de Ji-Paraná conhecer essa vila. Deslocamento tranquilo; são 35 km de asfalto. Os primeiros 20 km estão razoáveis; os outros 15 km estão em péssimas condições. Chegando a Nova Colina pude perceber o porquê do nome; a vila esta bem próxima a várias colinas; região bem bonita. Fizemos várias fotos da vila. Lá conhecemos o casal: Admilson e Sirlene. Ele artesão, faz vários tipos de objetos com madeira; entre eles, pequenos pilões, copos e taças, barril com torneira para armazenar cachaça e outras bebidas, recipientes para armazenar condimentos... em sua maioria feitos em cerejeira. Essa madeira é muito cheirosa; na hora em que chegamos ele estava trabalhando, e o cheiro estava chegando até na rua. Imagina a cachaça armazenada ali por um período, deve ficar muito saborosa. O Admilson e sua esposa Sirlene atendem pelo fone celular nº 69 8120-2416; ou em sua residência na Rua Jorge Teixeira s/nº - Nova Colina – Ji-Paraná – RO.
Voltamos juntos até Ji-Paraná, onde fomos fazer uma breve visita ao casal de amigos e também motociclistas: Vilson e Luciana. Dali o Robério e a Ana foram para casa, e eu segui para Alvorada passando por Presidente Médici. Obrigado ao casal Robério (Sicurí) e Ana (Jibóia), pela companhia. Andar com um casal de cobras não é mole não, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Na saída de Presidente Médici, na tradicional Baiuca; parei para fazer um almoço improvisado; ali encontrei o Márcio, grande amigo de antigos eventos motociclísticos; ele estava tomando uma cerveja... o que não é novidade, kkkkkkkkkkkkkkkk   ...conversamos um pouco, enquanto eu comia; e depois segui para Tancredópolis, sentido Alvorada. Depois de rodar uns 32 km, deixei a BR 429 e entrei uns 5 km até a vila. Tancredópolis é pequena, mas tem mercado, farmácia, lojas, posto de combustível, escola, posto de saúde, igrejas... ali também pude notar um depósito antigo de grãos, que o governo usava antigamente. Creio que essa vila, assim como também a Vila Camargo, bem como outras que ainda identificarei, se formaram em torno desse grande depósito, que hoje se encontra desativado; mas pelo menos serviu de referência para que ali nascesse uma localidade, um ponto de apoio. Depois de algumas fotos da vila cheguei de volta na saída da vila, onde estava reunida uma família inteira embaixo de grandes mangueiras. Parei e conversamos um pouco; pessoal bem animado; convidaram-me para almoçar, mas eu já havia almoçado um pouco atrás. Obrigado a toda a Família Araújo, de Tancredópolis; grande abraço pessoal.
Voltei para a BR 429 e segui para Alvorada; domingão cidade vazia; fiz várias fotos, inclusive a foto oficial na prefeitura e não me demorei; voltei 03 km sentido Presidente Médici e fui para Castanheiras pela Linha 48; estrada de terra, mas uma beleza para andar de moto. Eu ficava segurando para não passar de 100 km/h. No caminho eu saí um pouco da linha, creio que uns 06 km para fazer um reconhecimento do que eu achava ser uma vila. Realmente é uma vila, mas uma vila particular; é a sede da Fazenda Ermaza, uma grande fazenda, onde eles têm uma vila para os funcionários, com igreja e tudo mais. Voltei para a linha 48 e acelerei rumo a Castanheiras. Cheguei rápido; ali também a cidade estava deserta. Vi apenas 03 jovens tomando tereré na praça. Fiz as fotos, inclusive a oficial na prefeitura, com a utilização do tripé, já que não encontrava uma alma viva para pedir o favor de fazer uma foto minha ali. Dali acelerei para Jardinópolis; logo cheguei, já que agora é só asfalto, e muito bom por sinal. Jardinópolis é bem bonita; vila pequena, com comércio e posto de combustível; é distrito de Castanheiras. Depois de algumas fotos, e já com a tarde caindo; acelerei para a Agrovila. Chegando a agrovila, fiz algumas fotos. Essa comunidade possui uma igreja, algumas casas e faz parte do município de Castanheiras. Eu estava tirando fotos da igreja da Comunidade São João Bosco (Agrovila), quando fui surpreendido por um jovem (Pedro) que buscava ajuda para a moto de seu irmão (Helder) que estava com o pneu furado na estrada, a uns 05 km dali, sentido BR 364. Fiz as fotos e me desloquei para lá a fim de ajudar de alguma forma. Chegando lá vi que a câmara estava do lado de fora, e já não prestava mais. Retirei a roda e então o Pedro foi até a BR 364 onde existe uma borracharia colocar uma câmara na roda, enquanto eu fiquei ali com o Helder esperando o Pedro retornar com a roda, para eu montar na moto. A noite já estava chegando quando o Pedro apareceu com a roda pronta e inclusive com o borracheiro na garupa; ufa! Que alívio; problema resolvido; os irmãos seguiram para Ji-Paraná onde moram e eu acabei de chegar aqui em casa.
Assim termina a 2ª Etapa; muitas cidades, vilas, caminhos, pessoas... tudo esta dando certo. Devagar estamos conhecendo Rondônia. Quero agradecer a cada um que esta acompanhando essa viagem por nosso estado. Agradecer imensamente minha família e amigos pelo apoio e torcida. Agradecer também meus companheiros em cada etapa. Nessa especificamente o aventureiro Fabiano Silva pela companhia.
Agradecer aos patrocinadores, que acreditaram em nosso projeto e assim esta sendo possível realizá-lo. São eles:  Rolim Net,   Rilt Engenharia e construções,   Hospital Bom Jesus e Clínica Center Med,   Vetclin, Academia Godoi de Jiu-Jitsu e JJ Store Artigos Esportivos,   Poconé Veículos,   Canopus Motos Honda    e   Total S/A Frigorífico.

Total do dia: 306 km.
Entre Ji-Paraná e Rolim de Moura, segundo a rota da Expedição Rondon, 2ª Etapa.

Total rodado na 2ª etapa: 2.102 km
Asfalto 60%: 1.261 km
Terra 40%: 841 km
Duração: 08 dias, sendo 07 dias rodando e 01 dia parado na Festa do Divino.
Média de 300 km/dia.
Localidades visitadas: 10 Cidades e 17 distritos/ vilas.

Problemas mecânicos: Apenas uma regulagem de corrente de comando na Sahara, feita por mim mesmo; e uma lente do farol da Teneré que foi perdida na estrada.  


Caminhos de Rondônia

Rumo a Nova Colina


Robério e Ana

Eu e o Sicuri

Nova Colina - Distrito de Ji-Paraná








Admilson trabalhando a madeira

Produtos feitos por ele

Feitos em cerejeira, madeira muito cheirosa

Admilson e sua esposa Sirlene



Deixando Nova Colina


Estrada de volta para Ji-Paraná





Estrada do Aeroporto - Ji-Paraná


Horta na chegada de Ji-Paraná


Tancredópolis - Distrito de Alvorada








Família Araújo de Tancredópolis


Alvorada D'Oeste

Prefeitura de Alvorada




Cidade bonita







Estrada rumo a Castanheiras

A Sarita estava querendo voar nessa estrada... "i eu siguranu u manéti du bréqui, pa minguá a tuada" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Boa Viagem pra nós então...


Selfie em movimento; não faça isso em casa, só na estrada...


Castanheiras vista de longe


Castanheiras






Prefeitura






Prefeitura de Castanheiras

Estrada para Jardinópolis



Jardinópolis - Distrito de Castanheiras











Deixando Jardinópolis para trás, rumo a Agrovila

Agrovila - pertence ao Município de Castanheiras e ainda não é considerada uma vila; mas existem várias casas, uma rua, igreja, uma lanchonete de beira de estrada... e quem sabe daqui uns tempos vire uma cidade, pois sua localização é excelente.






Helder de Ji-Paraná com a câmara de sua moto avariada

Terminando a 2ª Etapa assim, ajudando um irmão na estrada.