Bem vindo...

...bem vindo a porta que te levará a viajar comigo; que te fará meu companheiro(a) em cada nova aventura... e história nas antigas; venha, vamos juntos conhecer o mundo... Andarilho.

Quem sou eu

Minha foto
Rolim de Moura, Rondônia, Brazil
...Motociclista aventureiro, apaixonado pela vida e pela liberdade... ...Antonio o Andarilho; é natural de Dourados –MS, tem 42 anos; autodidata em moto turismo; é otimista, prega e tem por objetivo: viver a vida intensamente com responsabilidade; preza pela direção defensiva e responsabilidade no trânsito, é disciplinado e adora desafios; membro das redes: Brazil Rider's, AME-BR e Irmandade Sem Fronteiras ; fundador e membro ativo do Moto Grupo Expedicionários da Amazônia; também membro da Iron Butt Association, Iron Butt # 45.581 do mundo; não é apegado a bens materiais; vive em Rolim de Moura –Rondônia -Brasil, com sua esposa e dois filhos menores; ex militar do Exército, atualmente comerciante; possui vasta experiência em viagens de curto, médio e longo alcance; e tem prazer em planejar, organizar e executar expedições, viagens e passeios; sempre muito bem acompanhado por sua fiel companheira "Sarita", sua Nx 350 Sahara 1999, a qual possui e viajam juntos a muitos anos; conhecedor da mecânica básica de motos; fala espanhol; e possui curso e estágio de 1ºs socorros e sobrevivência do Exército Brasileiro. Informações e contato; e-mail: andarilhoexpedicoes@gmail.com

domingo, 20 de abril de 2014

Moto terapia em algum lugar de RO

Dia 19 de abril; ...depois de alguns meses com a moto internada fazendo o motor, e com a ansiedade a mil, uma vontade louca de acelerar pra qualquer direção; resolvi visitar alguns amigos e lugares que fazia anos eu não via. Saí de Rolim de Moura passando por Nova Brasilândia, onde visitei meu amigo Fábio da Rondomoto, um dos integrantes da última expedição ao Perú, Expedição Expresso Andino, realizada recentemente novembro/13; dali segui para Santana do Guaporé onde visitei o Luciano o outro companheiro da mesma expedição citada anteriormente; ali almoçei e visitei seus avós, que conheço do tempo que eu ainda era menino; o Sr. Angelim, avô paterno do Luciano está bem debilitado fisicamente, mas é impressionante como sua memória é boa, se lembra da gente, conversa com um pouco de dificuldade, mas batemos um bom papo... depois até conversei com o Luciano como nosso futuro é certo... e ele oncordou comigo que devemos ter equilíbrio e aproveitar a vida também, ao invéns só de trabalhar. Dali deixei o asfalto e peguei uma estrada de terra por uns 25 kms até uma região muito especial, onde conheci e vivi alguns dias de minha vida ajudando meu finado pai a formar um sítio; me emocionei ao sentir o cheiro do Pau D'Alho, uma grande árvore que exala um cheiro muito parecido com o cheiro de alho, o mesmo cheiro, da mesma árvore que havia próximo ao barraco de pau a pique que meu pai havia feito para passar as temporadas de plantio e colheita em meio ao nada; hoje o barraco não existe mais, mais a árvore ainda está lá, exalando o mesmo cheiro de antigamente... Segui adiante e subi uma serra que desde de menino tinha vontade conhecer; de lá comtemplei uma vista muito bonita, que em anos vindo alí tão perto eu não tinha conhecido. Conhecí o Sr. Aparecido, que conhecia meu pai naquela época; conversamos bastante, e depois, com vontade ficar, peguei a estrada de volta... como é bom voltar aos lugares antigos em que vivemos alguma época de nossa vida, parece que nos rejuvenesce, que dá um contra-giro no relógio de nossa existência... Agora minha próxima aventura será no sul do Mato Grosso do Sul, onde vivi até os 10 anos de idade, antes de virmos aqui para Rondônia. Foram apenas 230 kms entre asfalto e terra, porém cheguei em casa revigorado.