Bem vindo...

...bem vindo a porta que te levará a viajar comigo; que te fará meu companheiro(a) em cada nova aventura... e história nas antigas; venha, vamos juntos conhecer o mundo... Andarilho.

Quem sou eu

Minha foto
Rolim de Moura, Rondônia, Brazil
...Motociclista aventureiro, apaixonado pela vida e pela liberdade... ...Antonio o Andarilho; é natural de Dourados –MS, tem 42 anos; autodidata em moto turismo; é otimista, prega e tem por objetivo: viver a vida intensamente com responsabilidade; preza pela direção defensiva e responsabilidade no trânsito, é disciplinado e adora desafios; membro das redes: Brazil Rider's, AME-BR e Irmandade Sem Fronteiras ; fundador e membro ativo do Moto Grupo Expedicionários da Amazônia; também membro da Iron Butt Association, Iron Butt # 45.581 do mundo; não é apegado a bens materiais; vive em Rolim de Moura –Rondônia -Brasil, com sua esposa e dois filhos menores; ex militar do Exército, atualmente comerciante; possui vasta experiência em viagens de curto, médio e longo alcance; e tem prazer em planejar, organizar e executar expedições, viagens e passeios; sempre muito bem acompanhado por sua fiel companheira "Sarita", sua Nx 350 Sahara 1999, a qual possui e viajam juntos a muitos anos; conhecedor da mecânica básica de motos; fala espanhol; e possui curso e estágio de 1ºs socorros e sobrevivência do Exército Brasileiro. Informações e contato; e-mail: andarilhoexpedicoes@gmail.com

sábado, 18 de maio de 2013

Dia 17 de maio: Porto Velho - Rolim de Moura 500 kms

Hoje saímos as 06:00 hs de PVH; quando saímos, todos na casa do meu sogro ainda dormiam; fica aqui o nosso muito obrigado pela recepção e pouso, em meu nome e em nome do Boliviano também; abastecemos em Candeias e tomamos café em Itapuã; um pouco antes do meio dia, já estávamos em Ji-Paraná, onde almoçamos com o Marcelo (pres. do MG Expedicionários da Amazônia, do qual tanto eu, quanto o Boliviano fazemos parte; e também é um dos líderes Brazil Rider's aqui em RO) a Taitá, sua esposa, D. Valdomira, sua mãe e o "Pentiado" seu sogro, pai da Taitá; uma delícia de almoço, obrigado Marcelo e Taitá; batemos papo até as 14:00 hs e depois seguimos, passando por Presidente Médici, onde visitamos ligeiramente o Piu-Piu, pres. do MC Legionários da Amazônia e amigo de longa data; a estrada nesse trecho de Médici está precária, e muito perigosa também; viemos com cuidado, pois é no final que geralmente acontecem as fatalidades, mas graças ao nosso bom Deus, que viajou conosco, todos esses 6.000 kms, chegamos em paz aqui em Rolim de Moura as 16:00 hs; o Júnior Tortola e a Rúbia foram nos encontrar na entrada da cidade; obrigado ao casal pelo carinho; enfim estamos no aconchego do lar, recebendo e dando carinho as pessoas que mais amamos, nossa família.
Quero nesse último post em forma de diário, agradecer imensamente aos seguintes: em 1º lugar a Deus, que nos proporcionou essa experiência em nossas vidas, nos levando e nos trazendo em seus braços; as nossas famílias que nos apoiaram incondicionalmente; a todos os amigos que de uma forma ou de outra nos ajudaram/incentivaram a realizar essa aventura; aos pastores, irmãos e irmãs da minha igreja (Batista Nacional Koynonia) que sei, oraram por mim e pelo Boliviano, durante toda essa viagem; ao Fabio "Boliviano", pela companhia, pelo irmão que ele foi e é para mim, principalmente agora depois dessa viagem juntos e também pela perneira que ele me doou; ao Marcelino pres. do MG Aventureiros do Araguaia, de Barra do Garças-MT, pelo incentivo e pela ajuda financeira também; ao Ataíde da Ataíde Extintores de Ji-Paraná, pela carga no extintor da moto; ao meu amigo de infância, Fábio da Rondomoto, concessionária Honda de Nova Brasilândia, pelo pneu traseiro que me doou; ao Gilmar Feitosa, irmão de MC, que me emprestou alguns objetos, entre eles cartões de memória...; ao Mayke, que com toda paciência, baixou os mapas da Bolívia para GPS, os quais nos ajudaram imensamente; ao Prof. Roberto, irmão do Mayke e meu 1º companheiro em uma grande viagem, pelo termômetro que me doou, que muito nos serviu, chegando a registrar na cidade de Uyuni, -8,9º C; aos Abutres da Facção Cáceres-MT, nas pessoas do Gurú (Sub-Diretor), seu filho Daygurú, o Caveira, e o meu irmão Justino da Facção Cuiabá, que conseguiu esse apoio para nós; ao MC Santa Cruz, na pessoa do Luiz Fernando, pela calorosa recepção e informações; ao 10º Batalhão de Polícia Militar de Brasiléia-Acre; ao MG Amigos da Esperança, na pessoa do Remildo; ao MG Filhos do Acre, e Brazil Rider's Acre, na pessoa do Paulo Navarro; ao meu sogro Aparecido e meu cunhado Handerson em Pvh; ao casal Marcelo e Taitá pelo farol auxiliar que me doaram, pelo alforge doado ao Boliviano e pelo almoço; a todos os integrantes do nosso MG Expedicionários da Amazônia; ao Daniel Memória, policial civil aqui de Rolim de Moura, que ficou responsável pela segurança de minha família e casa, durante a viagem; ao Hotel Ecos, aqui de Rolim de Moura, que nos patrocinou os sabonetes e shampoo de toda a viagem; ao Gean e sua esposa Camila pelos contatos feitos, para que recebessemos apoio junto ao MG Amigos da Esperança; ao casal de Expedicionários Júnior Tortola e Rúbia, por emprestar a calça de cordura ao Boliviano e o apoio em toda a preparação e execução da expedição... a cada um que torceu por nós, a cada um que visitou o blog, que viajou conosco, que sorriu com as presepadas do Boliviano... a cada boliviano, peruano, brasileiro, americano, europeu... que nem mesmo sabemos o nome, mas que com carinho nos ensinou um endereço, uma rua, uma saída... à esses anônimos que talvez nunca lerão esse agradecimento, mas que merecem algo em troca de tanta bondade; só me resta pedir a Deus, que derrame muitas bênçãos sobre a vida de cada um deles, muita saúde, paz e felicidade; para que continuem assim, fazendo o mesmo a outros motociclistas, jipeiros, aventureiros, viajantes, mochileiros... pois quando estamos longe de casa, apenas um sorriso já é motivo de alegria; a todos que estão lendo essa postagem, o nosso muito obrigado; Andarilho e Boliviano. Grande abraço e até a próxima.
Os vídeos serão publicados futuramente em novos posts... e a próxima se Deus permitir será a Expedição Patacama 2014; Paraguai, Argentina, Chile e Uruguai... aguardem!








Dia 16 de maio: Brasiléia - Porto Velho 710 kms

Hoje depois de um café reforçado, preparado com todo carinho pela Cleuzeni, nos despedimos da família e juntamente com o Remildo nos dirigimos a oficina do Reginaldo, a Radical Motor's; para conhecer e também nos despedir, depois fomos ao posto onde o Remildo abastece com desconto para que pudéssemos abastecer com desconto também, afinal estamos no acre e gasolina aqui é caro; então partimos; depois de 200 kms rodados, chegamos à Senador Guiomard, estando lá,  fomos a casa do Paulo Navarro, D. Arlete, Tayla(filha), e Lorena(neta de 8 meses); o Paulo que é líder Brazil Rider e membro fundador do MG Filhos do Acre, aqui no Acre, sempre recebe motociclistas aqui, e já faz parte da rota de quem passa por aqui; chegamos um pouco cedo pro almoço, mas como D. Arlete e a Tayla, já estavam com o almoço bem adiantado, e o cheirinho estava bom demais, só bastou um convite; kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, aí eu disse: já que insiste D. Arlete, não iremos fazer essa desfeita não; enquanto confirmava que iríamos almoçar alí, a boca salivava igual cachorro magro, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, obrigado Paulo, D. Arlete e Tayla, pela recepção, e pelo almoço tão gostoso; depois de um bom papo, e da despedida dos amigos, seguimos, rumo à Porto Velho, onde só chegamos às 20:00 hs, depois de pegar umas 03 chuvas no caminho, que só ajudou a amenizar o calor; dormimos na casa do meu sogro; e pra fechar com chave de ouro, a última noite na estrada; dormí numa cama de casal com o Boliviano; Uiiiiiiiiiiiiiiii!!!!, imagina, quase não dormí com medo, o Boliviano, a quase 20 dias longe da mulher, e eu dormindo com ele... o jeito foi dormir de cordura, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk; depois do banho, saímos, fizemos um lanche e voltamos para descansar, para amanhã bem cedo, partir rumo ao Lar doce Lar...




























Dia 15 de maio: Puerto Maldonado - Brasiléia 341 kms

Hoje partimos cedo sem café mesmo, depois de rodar um pouco, paramos e tomamos um café improvisado, porque caldo de frango logo cedo é difícil... às 11:00 hs da manhã já estávamos na fronteira; trâmites feito, dinheiro trocado, rumamos para Brasiléia, ainda com a recente lembrança do asfalto impecável da Bolívia e do Perú, mas de olhos bem abertos nessa buraqueira nossa de todo dia; como sentimos o impacto dessa mudança, é uma alegria e ao mesmo tempo uma tristeza entrar no Brasil; alegria porque somos brasileiros e amamos tudo isso aqui, desde a terra a essa gente tão querida, e tristeza pelo descaso das autoridades competentes com nossas estradas, fazendo assim com que tenhamos grandes prejuízos materiais e o pior deles, a perca de entes queridos... mas só no Acre recentemente, já foram preso 15 pessoas metendo a mão em nosso dinheiro; mas nós os financiadores de tal festa, estamos aqui arriscando a vida por essas estradas mortais. Chegamos em Brasiléia próximo das 13:00 hs, e conseguimos deixar as motos sob a proteção dos policiais do 10º Batalhão de Polícia Militar do Acre em Brasiléia, que por sinal foram muito atenciosos conosco; foram eles o SGT PM Edmilson e o SGT PM Nascimento, depois que voltamos conhecemos o SGT que é meu irmão de igreja, que está só em uma dessas fotos e que logo colocarei o nome dele por aqui, gente boa demais; a todos os PM's do 10º BPM de Brasiléia o nosso fiel agradecimento por fazer a segurança das meninas, enquanto nós estávamos nas compras em Cobija (Bolívia de novo), de táxi, é claro; passamos a tarde em Cobija, e como depois que voltamos foi difícil arrumar mais essas compras, onde já não tinha espaço, quase ficou de noite, e nós que queríamos dormir na casa do Paulo Navarro em Senador Guiomard, ainda teríamos 200 kms pela frente, seria quase impossível, mas estávamos dispostos a ir assim mesmo... foi aí que Deus mandou um anjo para nos ajudar, esse anjo não tinha asas não, mas tem um grande coração; ainda estávamos nos finais, brigando com cordinhas, aranhas e sacolas... quando se aproximou de mim, um moto taxista, o Remildo, se apresentou e perguntou se eu era de Rolim de Moura, eu disse que sim, então ele me disse que estava nos esperando para nos conhecer, pois é amigo do Gean, um grande amigo nosso de Rolim, e que estava acompanhando a viagem, e sabia que estávamos nessa região; então quando percebemos, já estávamos eu e o Boliviano na casa do Remildo, que é do MG Amigos da Esperança, ligado a Igreja Adventista, da qual o Remildo e família fazem parte; fomos muito bem recebidos também pela esposa do Remildo a D. Cleuzeni, que é professora, e por seus simpáticos filhos, a Lorrayne e o Erick; tomamos banho, jantamos, batemos bastante papo; pois logo chegaram para nos conhecer mais um casal do MG deles o Reginaldo e sua esposa Gabriela, eles que tem uma oficina de moto em Brasiléia, Radical Motor's e se colocaram a disposição para dar manutenção ou fazer um socorro se necessário, nessa região de Brasiléia; vou postar o contato com a oficina deles, recomendo quem for pra essas bandas, levar esses fones e o endereço, pois é bem próximo a avenida principal, para quem está indo ou voltando do Perú; e depois fomos dormir.
Detalhe, próximo ao 10º Batalhão, tem um alojamento para haitianos, são muitos mesmo; o Sgt Nascimento disse, que já são 2% da população de Brasiléia; o governo brasileiro está ajudando com trâmites, alojamento e comida, estão bem, a maioria se preparando para ir a são Paulo, digo isso porque conversei um pouco com um deles; a língua deles é o francês, mas como eles vieram pelo Equador e Perú até chegar no Acre, muitos já arranham um espanhol, e aí ficou mais fácil nos entendermos.