Bem vindo...

...bem vindo a porta que te levará a viajar comigo; que te fará meu companheiro(a) em cada nova aventura... e história nas antigas; venha, vamos juntos conhecer o mundo... Andarilho.

Quem sou eu

Minha foto
Rolim de Moura, Rondônia, Brazil
...Motociclista aventureiro, apaixonado pela vida e pela liberdade... ...Antonio o Andarilho; é natural de Dourados –MS, tem 42 anos; autodidata em moto turismo; é otimista, prega e tem por objetivo: viver a vida intensamente com responsabilidade; preza pela direção defensiva e responsabilidade no trânsito, é disciplinado e adora desafios; membro das redes: Brazil Rider's, AME-BR e Irmandade Sem Fronteiras ; fundador e membro ativo do Moto Grupo Expedicionários da Amazônia; também membro da Iron Butt Association, Iron Butt # 45.581 do mundo; não é apegado a bens materiais; vive em Rolim de Moura –Rondônia -Brasil, com sua esposa e dois filhos menores; ex militar do Exército, atualmente comerciante; possui vasta experiência em viagens de curto, médio e longo alcance; e tem prazer em planejar, organizar e executar expedições, viagens e passeios; sempre muito bem acompanhado por sua fiel companheira "Sarita", sua Nx 350 Sahara 1999, a qual possui e viajam juntos a muitos anos; conhecedor da mecânica básica de motos; fala espanhol; e possui curso e estágio de 1ºs socorros e sobrevivência do Exército Brasileiro. Informações e contato; e-mail: andarilhoexpedicoes@gmail.com

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Expedição Meio do Mundo; documentação.


Hoje 21 de junho as motos chegaram a Manaus, chegaram sem problemas e já estão guardadas em segurança; só nos aguardando. Ótima notícia, pois nesse rio muita coisa acontece com as embarcações, desde uma quebra de motor a um acidente mais grave; então podemos nos alegrar pois mais uma etapa foi concluída com êxito.



Documentos normalmente exigidos pelos paises onde vamos passar; estamos levando cópia de todos eles, para serem usadas nas aduanas fronteiriças. É muito interessante cada piloto escanear seus documentos e mandá-los para seu próprio e-mail; caso aconteça algum extravio ou um outro problema, é só entrar na internet e imprimi-los.

Venezuela:
-Documento da moto no seu nome;
-Passaporte;
-PID (Permissão Internacional para Dirigir)
-Nada consta da moto(Emitido pelo DETRAN)
-Seguro obrigatório(Adquirido na aduana da Venezuela)

Colômbia:
-Doc. da moto no seu nome;
-Passaporte;
-PID
-Permissão de trânsito (tbm na aduana Colombiana)
-Seguro contra terceiros.
 
Equador:
-Doc. moto no seu nome;
-Passaporte;
-PID
-Seguro contra terceiros.
 
Perú:
-Doc. da moto no seu nome;
-Passaporte;
-PID
-Seguro contra terceiros.


Bolívia:
-Doc da moto no seu nome;
-Passaporte;
-PID
-Atestado internacional contra febre amarela;
-Seguro contra terceiros.




 Documento da moto no nome do piloto.



 P.I.D. (na verdade essa PID é sua CNH traduzida em vários idiomas, só isso), é muito fácil tirá-la, é só ir no Detran de sua cidade, no setor de habilitação, com sua C.N.H. e 01 cópia da mesma em mãos, pagar uma taxa e em poucos dias ela tá na mão.



 Identidade; mesmo com o passaporte, muitas autoridades exigem a identidade, e com foto recente; por isso tirei a segunda via da minha.



 Passaporte; esse você faz na Polícia Federal; e tem validade de 05 anos.



Carteira Internacional de Febre Amarela; essa você faz na ANVISA, geralmente em aeroportos internacionais, ou em alguma fronteira; para isso você deverá levar sua carteirinha de vacina ou tomar lá na hora. A validade da vacina contra febre amarela é de 10 anos; e os países que a exigem, só liberam sua entrada no mesmo, 10 dias apartir da data de sua imunização, pois é o tempo necessário para que a vacina realmente faça efeito.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Expedição Meio do Mundo; preparativos II

Continuando com nossos preparativos; as motos e equipamentos já estão prontos; agora a missão é fazê-las chegar em Manaus com segurança, para de lá começarmos nossa viagem; as motos vão de balsa de Porto Velho para Manaus, serão 08 dias nesse trajeto; e os pilotos vão depois de avião Porto Velho-Manaus. Para as motos a viagem já começou, para os pilotos só dia 30 de junho, quando chegaremos a Manaus e as retiraremos do depósito da transportadora, alguns ajustes e dia primeiro de julho, aí sim começa realmente a Expedição Meio do Mundo; Manaus - Boa Vista - Ilhas Margaritas...


A Sarita ainda no início da transformação.


Indo instalar os suportes para as malas laterais Givi E21.


Já com as malas laterais e o tubo para ferramentas.


Trocando o escapamento esportivo por um escapamento Tork modelo original.


Trocando o bloco óptico do farol, o cromado já estava bem fosco.


Oficina improvisada; é gostoso demais quando chega um equipamento novo; não podia ver um entregador de sedex, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.


Instalando o banco Erê.


Instalando a base do baú Givi E45.


Instalando a manopla aquecida, no frio vai fazer a diferença.


Dia 09 sábado eu e o Duzin fomos rodar alguns quilometros(360 kms) para tirar a parafina dos pneus e testar a revisão, pois após trocar várias peças e com uma grande viagem a frente é de vital importancia esse teste; não fomos sozinhos, mais 04 companheiros nos deram o prazer de rodarmos juntos, foram eles: Roberto, Mayke, Enéias e Gilmar; a todos nosso agradecimento por estarem fazendo parte dessa história.


Nessa trip, saimos aqui de Rolim de Moura, paramos em Nova Brasilândia para conhecer a grande e linda loja Honda(RONDOMOTO) do nosso amigo Fábio e sua esposa Nádia; que nos receberam com um gostoso e recheado café da manhã, aproveitei também para agradecê-los pelo apoio nessa expedição, me patrocinaram: 02 pneus, 01 relação completa, freios, escova do motor de partida, suporte para placa... a voces Fábio e Nádia, o meu muito obrigado! Depois paramos em Santana do Guaporé para visitar nossos amigos, Luciano e sua esposa Taís, eles que também são motociclistas e sempre me apoiam em minhas aventuras; dalí partimos para São Miguel do Guaporé- Alvorada- Nova Londrina- Ji-Paraná; onde visitamos a Mega Motos Acessórios; para umas comprinhas básicas: balaclavas, luvas, segunda pele... almoçamos em Ji-Paraná mesmo, e às 16:25 hs já estávamos em Rolim de Moura novamente; as motos se comportaram dentro da normalidade e provaram que estão prontas para a expedição.


Projeto: Oxigenação do Carburador na Altitude; essa idéia nasceu a partir da minha primeira viagem ao Perú em julho de 2008; onde a Sarita sofreu na altitude, naquela época como a maioria da estrada era de terra, era impossível retirar o filtro de ar para ajudar a moto, se tirasse poderia entrar até terra no carburador; então o jeito era diminuir o giglê, quase desmontando a moto toda para acessar o carburador; a partir daí comecei a pensar em como amenizar esse problema da falta de oxigênio na altitude; o mais fácil seria comprar uma moto injetada; mas,... e quem tem uma moto carburada por opção, por estimação, por paixão... só por isso teria que se desfazer de uma grande companheira, sem tentar fazer nada; sem dizer que a moto carburada tem uma mecânica muito simples e mais barata; e até um borracheiro de beira de estrada se arrisca em mexer num carburador; já numa injeção... tem é muito mecânico que corre de perto.

Com a ajuda e idéias de alguns amigos, como Roberto, Enéias e Ramão, realmente resolvi fazer esse teste na altitude, agora nessa expedição; se é oxigênio que falta lá em cima, vou dar oxigênio pra ela lá; que quantidade deverei liberar... autonomia do cilindro... e outras dúvidas mais, só obterei a resposta lá em cima, durante o teste; duma coisa tenho certeza, a moto avisa quando está precisando de oxigênio, começa a falhar; é aí que vou liberar uma poeirinha de oxigênio pra ela, entrando por uma mangueirinha que o libera logo depois do filtro, para que ele se misture com o ar pobre que estará entrando e chegue ao carburador numa mistura ar/oxigênio próxima da nossa aqui embaixo.

Durante a expedição, estarei postando as novidades dessa experiência; tá dando um certo trabalho para levar esse cilindro(1 m3), que ainda não sei se é grande demais, ou se é por aí mesmo; só sei que se der certo, vou comprar um cilindro de aluminio, e fazer um suporte para ele não tirar o espaço do garupa, que é onde ele vai nessa viagem; como ainda é um teste, não posso investir muito, pois existe a chance de não dar certo também; estou ciente disso.


Adesivo da expedição versão Duzin; todas as viagens dele tem esse adesivo, o que muda é a rota e talvez os parceiros.


Embarcando as motos para ir pra Porto Velho, e de lá para Manaus de balsa. Duzin e Luciano.


...tentando colocar as duas de frente...


...


...mas...


...não teve como as duas irem de frente, tivemos que colocar a V-Stron de ré, aí deu certo. Obrigado Luciano pela força!


"quem quer fazer arruma um jeito, quem não quer, uma desculpa" ...e assim realizamos nossos sonhos; a pouco tempo atrás essa viagem era um sonho; e com muita luta, vontade, coragem e perseverança; hoje a gente vê que pouco a pouco ela vai se tornando realidade... e assim vamos nós mais uma vez, buscar conhecimento e experiência de vida.


...e aí está a Sarita, linda, cheirosa, toda equipada; doida para conhecer esses lugares que tanto me ouviu falar; hoje na carretinha, amanhã na balsa... e depois, aí sim, é a vez dela fazer o que mais gosta: rodar, rodar e rodar; conhecendo novos mundos, novas tribos, novos sabores(gasolina pura, para elas deve ser uma delícia, kkkkkkkkkkkkkkk)... e para nós também, principalmente na Venezuela, onde o preço do litro são poucos centavos de real.


O sucesso de uma viagem desse porte está nos detalhes, na organização, no planejamento; se engana quem pensa que é só ter dinheiro e uma boa moto, para fazer uma viagem fora do país... até você realmente estar lá, fazendo aquela pose para aquela sonhada foto; foi muita correria, muito  planejando, muita internet, muitos mapas, muitos documentos... mas tudo isso não é nada frente ao prazer de viver tudo isso. Vale a pena!


Esse volume na garupa é o cilindro de oxigênio.


Aí está a companheira de estrada do Duzin; com certeza serão dias inesquecíveis para todos nós. Agora rumo a Porto Velho.


 Chegada das motos e um lindo por do sol, no porto do Rio Madeira em Porto Velho.


 Minotauro, no embarque das motos.


Duzin, embarcando as motos; eu não pude estar presente no embarque; detesto despedidas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, choro demais...


 Já devidamente acomodadas.


 
 Rumo a Manaus...


 Já tô com saudades dela.


 Essa balsa está com uma carga de milho, poucos carros e nossas motos.


 Companheiras de estrada; nos vemos em Manaus, se Deus assim nos permitir.